14 dicas para prospectar a primeira troca de casa

14 dicas para prospectar a primeira troca de casa

19 jan 16
14 dicas para prospectar a primeira troca de casa

Agora que você já leu o nosso primeiro artigo sobre o assunto, conheceu as várias opções de sites e decidiu em qual deseja entrar, está na hora de começar a prospectar sua próxima casa de férias.

Compartilhamos as dicas que seguimos nas nossas buscas. Este artigo não é um passo a passo, ou seja, não significa que se você não seguir essas orientações não vai conseguir uma boa troca. A ideia é ajudar você a ter uma primeira experiência positiva como nós.

1) Invista tempo no seu perfil

O perfil da sua casa é o seu cartão de visitas. Assim que você se cadastrar em um clube de troca, escreva um perfil básico. Depois, visite outros perfis para checar como o seu pode ser melhorado. Não deixe campos em branco. Inclua também algo sobre a sua família, cidade e estado.

Geralmente os sites também pedem o nome dos países desejados e datas possíveis para a troca. Abra o “leque” o máximo que for possível. Muitos oferecem a possibilidade de clicar em “anywhere” e “anytime”. Faça isso.

2) Capriche nas suas fotos

Fotografe toda a sua casa. Use fotos em alta resolução e arrume bem os cômodos antes. De uma certa forma é como se estivesse colocando sua casa à venda. Escolha ângulos que demonstrem que seu imóvel é adequado para as férias. Mostre bem o quintal, varanda, churrasqueira, piscina, banheira e qualquer outro ambiente que lembre férias e diversão como o quarto de brinquedos.

Inclua também boas imagens da sua cidade. Não se intimide por não residir em uma cidade grande. Um lugar menor pode ser o sonho de alguém. Há muitos interessados em fugir do inverno no Hemisfério Norte e, para esses, basta ser um lugar onde é verão.

3) Decida que língua utilizar

Se você usar o português as suas chances de troca com estrangeiros ficam reduzidas. Ainda que seja possível utilizar uma tradução de internet, a negociação é geralmente feita em inglês. Certamente próximo de você há alguém que pode fazer as traduções.

4) Estabeleça um critério mínimo

Para onde você quer ir? Quanto tempo quer ficar? Quando quer viajar? Quer trocar de carro também? Gostaria de trocar de serviço de limpeza? Enquanto estiver montando seu perfil vá pensando nessas questões. Seja o mais flexível possível.

Obviamente que uma troca de casa geralmente envolve imóveis equivalentes, mas isso não é uma regra. Se você não tem a mínima ideia de destino, ótimo! Abra o mapa do mundo no clube de troca, comece a sonhar com casas nos 5 continentes e inicie seus contatos.

5) Monte um texto padrão 

Agora que você já tem uma ideia do que quer, quando quer e onde quer, escreva uma mensagem de contato inicial e comece a disparar para as casas que te interessarem. Muitos acabam não respondendo nada e outros dizem que estão interessados e querem conversar mais.

Para você ter uma ideia, enviamos mais de 200 mensagens iniciais de prospecção. Recebemos menos de 50 contatos. Apesar de ficar sem retorno de muitos, não faça isso. Responda 100% das propostas e mensagens que receber. Você pode mudar de ideia sobre um destino no futuro.

6) Não tenha pressa para fechar

Mesmo que uma família pareça interessada e ideal, conforme as mensagens são trocadas pode surgir algo diferente e a pessoa nunca mais responder o contato. Aconteceu conosco. Sendo assim, mesmo que já estiver negociando com alguém, considere novos contatos que surgirem.

Você pode levar meses para fechar a primeira troca. Paciência! Nós nos inscrevemos em janeiro e fechamos em julho, ou seja, 6 meses de prospecção e negociação. Não se comprometa a menos que esteja 100% decidido pela troca de casa.

7) Deixe que o destino te surpreenda

Nós nunca consideramos trocar de casa com uma família de Boise, estado de Idaho. Nós estávamos concentrados em outros estados e outros países de língua inglesa. No entanto, estamos vivendo uma experiência divertida e interessante . Neste caso, a proposta de troca foi feita pela outra família. Por isso, vale a pena considerar propostas “fora da caixa”.

8) Pesquise o perfil nas redes sociais

Alguns clubes de troca de casa oferecem a possibilidade de que o cadastrado inclua seus perfis e isso ajuda a entender melhor o contexto da família. Mesmo quando isso não está claro, você pode tentar localizar as pessoas e com isso obter mais informações para se sentir mais seguro. Qualquer rede está valendo para conhecer melhor aqueles para quem você vai entregar a sua casa, inclusive o LinkedIn.

9) Use e abuse do Mr. Google

Fizemos muitas pesquisas sobre as casas que estávamos prospectando. Verificamos mais sobre os bairros no Google Maps, pesquisamos os nomes das pessoas e tentamos checar, sempre que possível, a veracidade das informações do perfil no qual estávamos interessados.

Neste ponto tenho que dizer que fiquei com a impressão de que quando há uma anuidade a ser paga, as pessoas se comprometem mais com os perfis e os contatos. Mas isso não invalida os sites gratuitos, é somente uma forma de ver a questão do pagamento.

10) Leve em conta o bairro

É importante que você verifique bem o que há no bairro para não ter que se deslocar quilômetros para ir ao supermercado. Muitas pessoas colocam a segunda casa na troca, então, pode ser que o imóvel seja em um local retirado e distante de um centro de compras. Uma casa pode ser ótima, mas o bairro ruim. Não deixe de perguntar sobre vizinhos e entender quem dará apoio se surgir alguma necessidade na casa.

11) Procure uma família de perfil parecido

Trocar com uma família com filhos mais ou menos na mesma idade pode ser muito mais interessante porque provavelmente a casa oferecerá brinquedos, camas adequadas, cadeirinhas de carro e carrinhos de bebê, dependendo da idade dos filhos. Também é uma boa estratégia procurar famílias que já tenham feito pelo menos uma troca de casa anteriormente.

12) Faça muitas perguntas

Não se intimide durante os contatos. Melhor perguntar agora do que ser surpreendido depois. Confie no seu sexto sentido. Gaste tempo lendo as informações e avaliando as imagens. Se algo incomodar, seja direto e pergunte. Se a pessoa não responder suas perguntas, desconfie. Em contrapartida, responda todas as dúvidas dos outros. Quanto mais troca de informação houver, mais confiante você ficará. Lembre que, uma vez fechada a troca, há pouco o que negociar.

13) Faça Skype, Facetime ou Hangout

Combinar um tour virtual pode ser uma outra opção para esclarecer dúvidas. Use um desses recursos para mostrar a sua casa primeiro e pedir para ver a do outro depois. É uma boa maneira de conferir a veracidade do que está postado. Eu não precisei chegar a esse ponto porque utilizei as dicas anteriores para verificar alguns itens, mas estava preparada para isso caso não me sentisse segura.

14) Não se comprometa precipitadamente

Você precisa ter certeza absoluta que quer fazer a troca antes de dar um OK para a outra família. Da mesma maneira que você não quer ter um prejuízo em passagens aéreas, não é justo que isso ocorra com os outros. Não se precipite.

Os sites oferecem modelos de “acordos” que podem ser preenchidos pelas partes. É interessante que você tenha um desses assinado antes de comprar as passagens . Além disso, use o recurso do próprio site para informar que a troca de casa foi fechada. Isso oficializa o acordo também.

_______

Se você ainda não está acompanhando essa troca de casa, veja aqui as redes sociais que estamos usando para compartilhar a nossa experiência aqui nos Estados Unidos. Vem viajar com a gente!

5 comments

  1. Pamella

    Adorei o post, esclarecedor!

  2. Muito legal essa experiência de vocês!!!!
    Estou muito feliz que esteja tudo dando certo e que vocês esteja curtindo :)
    bjos

  3. Patricia Amorim

    Oi, Adriana.

    Também já troquei de casa e foi uma experiência maravilhosa. Tenho outras duas trocas engatilhadas e queria deixar umas dicas pelo que eu também passei (e ainda passo) no processo de negociação e durante a estadia em si.

    1. Se você pretende trocar de carro, é importante checar se a sua carteira de motorista é válida no país onde você pretende dirigir e principalmente, se o carro tem seguro. Se não tiver seguro, não recomendaria fazer a troca. Não sabemos o que pode acontecer e parto do princípio que é sempre melhor pecar por excesso em relação à segurança.

    2. Se o carro tiver seguro, pergunte ao dono se o seguro cobre “um amigo” dirigindo. Se não cobre, quanto custa para adicionar o motorista extra (você) e faça o pagamento (ou negocie algo para compensar). E sempre devolva o carro limpo e de tanque cheio.

    3. Quando troquei de casa, não tinha muitos dias para ficar na casa escolhida e eles estavam disponíveis para ficar mais tempo na minha casa. Sugeri que eles nos emprestassem o carro deles durante a estadia em troca de mais dias na minha casa. Eles acharam justo e ambos ficaram felizes.É tudo uma questão de conversar e entrar em acordo.

    4. Veja se a família da casa que você está interessado “clica” com você e vice-versa. Empatia é fundamental! Você está trocando o seu lar com outra pessoa.

    5. Pergunte algumas vezes se realmente a troca está confirmada, inclusive antes de embarcar no avião. Obviamente, tudo pode mudar no último minuto, mas quanto mais você se certifica, menor é a chance de algo dar errado.

    6. Pergunte se há alguma área da casa que você não deveria usar, se os brinquedos estarão disponíveis, bicicletas etc.

    7. Se houver animais (ou plantas) na casa escolhida e você se dispuser a cuidar deles, peça detalhes bem explicados de como cuidar, o que fazer em caso de emergência, contato de veterinário etc.

    8. Pergunte se há alguma pessoa que faça limpeza na casa ou que costuma ajudar o dono no dia-a-dia. Fora do Brasil isso é incomum, mas eu sempre pergunto porque há algumas famílias que tem sim. E de repente, é uma boa alternativa para ao final da estadia, você entregar a casa impecável ao dono.

    9. Trate a casa como se fosse sua. Ou melhor do que você cuidaria da sua. Nada pior que voltar para casa e encontrar paredes rabiscadas, sofá manchado… É bom senso, mas não custa lembrar.

    10. Não deixe de levar uma “lembrança” para o seu anfitrião. É gentil e a família ficará feliz por receber algo. Pode ser algo da sua cidade/ país, café, uma cesta de frutas, flores, uma refeição ou um bolo feito por você, por exemplo, para demonstrar a sua gratidão. Imagine que delícia voltar para casa faminto depois de uma longa viagem e encontrar um jantar pronto só para aquecer?

    11. Crianças também podem agradecer. Minha filha ainda não escreve bem, mas adora desenhar. Na nossa troca, ela ficou tão feliz em poder usar os Legos do nosso anfitrião (o filho também é “legomaníaco”) que resolveu fazer um desenho e escreveu “Thank you”. Ele adorou!

    12. Não esqueça de perguntar se a casa tem alarme e como desligar. Quais os problemas você pode encontrar (na casa onde ficamos, nossos anfitriões deixaram post-its em todos os lados com informações- achei fantástico!) como onde fica a chave geral de energia, o registro geral de água da casa.

    13. Envie muitas mensagens como a Adriana mencionou, mas não foque apenas em grandes capitais. Elas são as mais difíceis de conseguir. Abra a mente e considere propostas de lugares “diferentes”. Isso ajuda muito. Até agora só conseguimos trocas para lugares alternativos e a experiência tem sido maravilhosa.

    14. Se você pretende levar seus pais ou alguém junto com a sua família, peça permissão ao seu anfitrião antes de ir. Informe quem é, por que pretende levar a pessoa junto e se eles autorizam.

    15. E lembre-se: você não está indo para um hotel. A experiência é muito diferente, mas muito, muito legal.

    • Adriana Pasello

      Super obrigada Patricia. Muita gentileza sua compartilhar essas dicas complementares. Não vejo a hora de publicar a entrevista contigo! Bjo

  4. Ronise Monaco

    Oi amigos e vizinhos,
    Estamos nos deliciando com as imagens e suas histórias, ficamos muito felizes de saber que está sendo uma experiência enriquecedora tanto para vocês como para as crianças. Um beijo grande!!!!!
    Ah!!! Queremos um livro depois!!!!!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>