Pacotes de Ano Novo 2018: quanto devo pagar pela viagem?

Pacotes de Ano Novo 2018: quanto devo pagar pela viagem?

27 ago 17
Pacotes de Ano Novo 2018: quanto devo pagar pela viagem?

Este post nasceu em Trancoso. Uma informação sobre os valores dos pacotes de Ano Novo naquela cidade provocou o parto deste artigo.

Tomei um susto tão grande com os números que precisei pensar e escrever. Cheguei a compartilhar meu espanto no perfil do FB. Foi muito interessante ler as opiniões sobre o porquê um pacote pode custar um carro.

O assunto é complicado porque envolve valor, luxo, preço e exclusividade. Mas, parando para refletir sobre ele, dá para aprender algumas coisas. A começar por quem se dispõe a comprar pacotes nesse patamar de valores.

 

Quem é o turista brasileiro?

1) O turista é o consumidor que está habituado a pagar mais aqui pelos mesmos produtos que custam muito menos fora. De carros a telefones, de combustível a brinquedos, de suplementos a eletrônicos, tudo é mais caro no Brasil. (mesmo descontando a carga tributária e o Custo Brasil, nós pagamos mais)

2) O turista é o consumidor brasileiro que chegou atrasado no mercado mundial. Somente depois dos anos 90 tivemos acesso a produtos importados. Só então começamos a experimentar opções e comparar a qualidade de uma variedade enorme de produtos. Temos pouca prática.

3) O turista é o consumidor brasileiro que faz parte de um dos lados da desigual distribuição de renda. Os que têm mais buscam diferenciar-se dos que têm menos através da compra de produtos e serviços de luxo. Dar mais valor às coisas do que elas realmente têm é uma forma de demonstrar sua posição social.

4) O turista é o consumidor brasileiro que confunde preço alto com qualidade e atribui status a qualquer coisa que seja cara. Isso já foi assunto até da Forbes. Autoafirmação de status.

 

Já ouviu falar do Lucro Brasil?

As grandes e pequenas empresas conhecem muitíssimo bem o consumidor brasileiro descrito acima. Elas já perceberam, há muito tempo, que o nosso desejo de consumo está desajustado em relação aos países desenvolvidos.

Por isso, aqui existe o Lucro Brasil. Ele nada mais é do que a disposição que temos de dar mais valor às coisas do que elas realmente têm.

Neste artigo do Estadão, o professor de economia do Insper, Otto Nogami, afirma que há uma razão comportamental que influencia os preços. “A capacidade de consumo do brasileiro é recente, então, há um certo deslumbramento e um desejo muito grande de consumir”.

 

Quanto custa 1 semana durante o Ano Novo pelo mundo?

Vambora pensar globalmente para tentar entender melhor o que acontece no Brasil.

Veja só essa comparação de valores de hospedagem que busquei no Booking. Procurei hotéis 5 estrelas com localização estratégica para as celebrações e fogos. Pesquisei um total de 7 diárias para 2 adultos e 2 crianças de até 10 anos.

Pacotes de Ano Novo 2018 em ordem crescente e em reais:
– Times Square em New York 14 mil
Copacabana com vista 17 mil
– De frente para o Burj Khalifa em Dubai 18 mil
Las Vegas 18 mil (no Mandarin Oriental!)
– Pé na areia em Jericoacoara 33 mil
– Vista para o Tâmisa e London Eye 35 mil
– Pé na areia em Floripa 36 mil
– De frente para o mar em Noronha 37 mil
– Vista para a baía em Hong Kong 39 mil (Ritz-Carlton!)
– Vista para a baía em Sydney 44 mil
– Pé na areia em Trancoso 58 mil
– Outra opção em Trancoso 76 mil

Como lidar com o destino desejado?

Há um lugar hiper inflacionado no Brasil ou no mundo que mexe profundamente com você? Sente-se agora. Respire profundamente. Pare de pensar nele. Abra sua mente para receber imagens de outros destinos. Interrompa agora o processo mental que aceita comprar um pacote que custa um carro.

Você pre-ci-sa deixar a emoção de lado e pensar com a razão. Em que outros lugares você pode ter uma experiência semelhante? Que outros hotéis oferecem os mesmos diferenciais? Seus filhos não teriam mais diversão em outro tipo de hospedagem? Por que você quer comprar “esse” pacote?

Você tem o poder ($$$) nas suas mãos. Você pode decidir onde seu dinheiro vale mais.  Pense com a razão para que a sua atitude não contribua para inflacionar um destino turístico.

Use a consciência e não dê mais valor às coisas do que elas realmente têm. Se você não tinha essa prática antes, comece agora que é modelo de decisão para seus filhos.

 

Tarefa de casa

Abra um atlas e analise os valores das imagens da galeria junto com seus filhos. Troque ideias com eles sobre seu próximo destino. Quanto devemos pagar pela viagem?

7 comments

  1. Ana Carolina Miranda

    Ótimo post. Fiquei impressionada com os preços, principalmente o de Trancoso. Nunca imaginei que o valor seria tão alto assim. Obrigada por compartilhar. Certamente iria optar por Nova York

    • Adriana Pasello

      Pois é, Ana Carolina, o brasileiro ainda não entendeu o poder do dinheiro. rs

  2. Adriana, eu não iria para nenhum desses lugares com esses preços. Final de janeiro esse mesmo hotel de Trancoso está vazio, e cobra um valor infinitamente menor em relação ao cobrado na virada do ano.
    Abraços!

    • Adriana Pasello

      Então, é isso Patrícia, inteligência viajacional… kkkk Se é que podemos chamar assim. Nosso dinheiro vale muito.

  3. Samantha

    Eu realmente gostaria muito de entender o que leva alguém a pagar 30 mil pra passar uma semana num resort brasileiro no réveillon. Gente, não é questão de ter ou não…É questão de “a experiência, por melhor que seja, não vale esse caminhão de dinheiro”. Com essa grana, se viaja pra um bom destino no exterior com passagem, hotel decente e ainda sobra um bocado de dinheiro pra gastar..

    • Adriana Pasello

      Falou tudo Samantha. Não é questão de ter ou não ter o dinheiro para pagar esse patamar de valores.

  4. Camila

    Estou chocadaaa! Mil vezes ir para Dubai ou Las Vegas do que Trancoso… Que abuso!!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *